Casa Cidades

Seminário mostra resultados de instalação de placas solares em Porto Alegre

Por Grasiele Berticelli, do coletivo de comunicação do MAB.

Na última quinta-feira (03/10), aconteceu o seminário de apresentação dos resultados do projeto desenvolvido pela Associação de Proteção à Vida (APROVI), de instalação de placas solares para aquecimento de água, em Porto Alegre.

A iniciativa teve início em 2018, com apoio do MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens) e contou com recursos do Fundo Socioambiental Casa. O projeto abrangeu as Vilas Santa Helena e Herdeiros, no bairro Lomba do Pinheiro, e se deu a partir de um amplo processo de debate a respeito do preço da luz e de integração entre as famílias participantes. A escolha das famílias beneficiadas se deu pelo critério de participação nas reuniões e engajamento na tema da energia.

Das seis placas instaladas na Lomba do Pinheiro, três foram na Vila Santa Helena e três na Vila Herdeiros. As instalações foram realizadas no método de oficinas, com a participação da comunidade e parceiros, onde eram apresentados elementos sobre a questão energética e as placas solares como uma alternativa diante das altas tarifas de energia.

O seminário ocorreu na data em que se comemora o Dia da Agroecologia e o aniversário da Petrobras, dia marcado por muita luta em todo o Brasil, em virtude do Dia em Defesa da Soberania Nacional e da Educação Pública, que contou com ampla mobilização dos setores populares em todo o Brasil.

Para Fernando Fernandes, coordenador do projeto, “este 3 de outubro foi ainda mais especial para nós, que estivemos presentes no seminário, pois tratou-se de um importante momento de confraternização entre as pessoas que se envolveram no projeto ao longo de dois anos na Lomba do Pinheiro.”

noticia-2

O momento central da noite foi a apresentação dos resultados pelas famílias contempladas, que relataram os benefícios que estão sendo vivenciados após a instalação das placas, além da compreensão a respeito das contradições da questão energética brasileira, sentidas concretamente nas altas tarifas de energia.

Conforme apontado por Elusa Gonçalves, moradora da Vila Herdeiros e beneficiada com a placa: “Nós não deveríamos pagar tão caro pela energia elétrica, considerando a grande quantidade de barragens que possuímos no Brasil.”

As famílias que receberam as placas relataram uma economia significativa nas contas de luz, por dispensar o uso de energia elétrica no chuveiro, além do maior conforto no dia a dia das atividades domésticas, pela água quente que sai diretamente da torneira, o que promove uma economia também no consumo de gás de cozinha.

Outra questão interessante é a apontada por Maria Aparecida, beneficiada na Vila Herdeiros: “A água aquecida diretamente pelo Sol tem propriedades diferentes. Ela é mais leve, energizada, sentimos a diferença quando bebemos e no banho. É revigorante!”

noti3

Sobre os próximos passos, de acordo com Fernando, “o objetivo é seguir debatendo o tema das tarifas com as famílias da Lomba do Pinheiro e de outros bairros de Porto Alegre, apresentando as placas como uma alternativa viável de economia. A intenção é somarmos cada vez mais força na luta pela construção de uma política pública estadual a partir da experiência na Lomba com as placas”. Ainda segundo ele, será iniciado um amplo processo de recolhimento de autodeclarações das pessoas que são contra as altas tarifas pagas pela energia elétrica, “num movimento de luta nacional para baixar o preço da luz”.

O seminário aconteceu na COOTEPA, na Vila Herdeiros, e contou com a participação da coordenação estadual do MAB, moradores e representantes das associações comunitárias do bairro, MST, representantes da Ocupação Baronesa, Guayí (articuladora do Fundo Socioambiental Casa, em Porto Alegre), Sindipetro, o deputado Edegar Pretto (PT/RS) e delegados do Plano Diretor da cidade.