Casa Cidades

Rede Paraciclo desenvolve Mapa Colaborativo do ciclismo em Belém

Segurança e informação são itens essenciais para quem usa a bicicleta como meio de transporte nas grandes cidades. O ciclista precisa saber onde estão as ciclovias e ciclofaixas, onde estão as borracharias caso um pneu fure no caminho, onde comprar peças e equipamentos e onde estacionar sua bicicleta com segurança. Pensando nisso, o Coletivo Paraciclo de Belém propôs o desenvolvimento de um Mapa Colaborativo que pudesse ser atualizado de forma dinâmica.

O mapa desenvolvido pelo Coletivo Paraciclo foi inspirado em outra iniciativa parecida que infelizmente nunca foi concluída, com o apoio do Fundo CASA finalmente saiu do papel. O trabalho inicial foi feito em parceria com representantes de coletivos de ciclistas de Belém que receberam um treinamento inicial e agora o mapa já está disponível para qualquer cidadão que queira colaborar, basta acessar o link do Google Maps para navegar pela cidade e também atualizar as informações, caso necessário.

paraciclo-1

Segundo Melissa Noguchi, que participou do desenvolvimento do projeto, “o objetivo do Mapa Colaborativo é fazer circular as informações sobre a bicicleta e o ciclismo na cidade, quais os estabelecimentos que são amigos dos ciclistas e que incentivam o uso da bicicleta”.

O Mapa Colaborativo faz parte do projeto aprovado pelo Coletivo Paraciclo no edital do programa CASA Cidades, uma realização do Fundo Socioambiental CASA em parceria com o Fundo Socioambiental CAIXA e Fundação Oak. O projeto também inclui o desenvolvimento de pesquisas e levantamentos de dados como a contagem de ciclistas e também uma pesquisa de demanda potencial que busca saber quantas pessoas usariam a mobilidade ativa caso houvesse infraestrutura.

paraciclo-2

O grupo contabilizou 55.423 viagens de bicicleta na capital paraense em uma pesquisa que durou 5 dias, num período de 12 horas por dia, em diversos pontos na cidade. Deste total de ciclistas, apenas 7% eram mulheres. A pesquisa de demanda potencial tentará decifrar a razão para o número pequeno de mulheres pedalando, mas tudo indica que a falta de segurança e infraestrutura são fatores que afastam as mulheres do pedal em Belém.