Casa Cidades

Em Porto Alegre, moradores do bairro Lomba do Pinheiro realizam novas instalações de Placas Solares

Pela Comunicação do MAB/RS

A Associação de Proteção a Vida (APROVI) em parceria com o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e lideranças do bairro Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre/RS, vêm desenvolvendo um projeto apoiado pelo Programa CASA Cidades do Fundo CASA e, desde 2018 realiza rodas de conversa e visitas às famílias para debater sobre o modelo energético brasileiro e as altas tarifas de energia impostas à população.

O projeto contou com a instalação de seis Placas Solares do Sistema ASBC (Aquecedores Solares de Baixo Custo) para aquecimento de água, no bairro Lomba do Pinheiro, sendo três na Vila Santa Helena e três na Vila Herdeiros. Ao todo, seis famílias foram beneficiadas com a tecnologia. As instalações ocorreram na forma de oficinas com a comunidade, fazendo-se um debate inicial sobre as tarifas de energia elétrica e o uso dos aquecedores solares para economia na conta de luz.

WhatsApp-Image-2019-09-13-at-19.09.02

No dia 20 de julho deste ano, foram realizadas as duas primeiras oficinas, sendo uma em cada Vila. Neste mês de setembro foram realizadas as 4 oficinas restantes. Nos dias 11 e 12, as instalações ocorreram na Vila Santa Helena e, no dia 13, as famílias beneficiadas foram as residentes da Vila Herdeiros.

WhatsApp-Image-2019-09-12-at-20.04.36

Nas primeiras residências que receberam as placas, já é possível notar a economia na conta de energia elétrica, conforme relatado pelas moradoras, que também vivenciam uma melhora no conforto e na qualidade de vida. As famílias tem exercido o papel de multiplicadoras da experiência, o que já vem mostrando resultados, com a vizinhança demostrando interesse em se somar nas reuniões da comunidade, para debater sobre as altas tarifas de energia elétrica e somar forças para conquistar mais placas.

O objetivo da iniciativa é criar uma experiência que possa estimular a formulação de uma política pública no âmbito das alternativas energéticas para toda a cidade de Porto Alegre, além de fomentar o debate sobre a questão energética, num processo contínuo de formação e construção de consciência política e social.

Para Eluza, professora e uma das moradoras mais antigas da Vila Herdeiros, que recebeu uma das placas: "O povo tem direito de acessar essa tecnologia, considerando que pagamos um alto preço na tarifa, sendo que o Rio Grande do Sul tem uma grande quantidade de barragens, que produzem a energia a baixo custo. Através da luta conquistamos as seis placas e queremos que mais pessoas possam ter acesso, através de uma política pública".

No próximo dia 03 de outubro, será realizado na Vila Herdeiros, um seminário de fechamento do projeto, com avaliação do processo, relato das experiências e apresentação de resultados. A atividade contará com a participação das famílias beneficiadas, moradores do bairro, representantes de entidades parceiras e poder público.