Casa Cidades

Casa Amarela, trilhando a busca pela sustentabilidade na cidade do Recife

Casa Amarela, que transita entre a calmaria bucólica de suas casas e seus quintais, que aos poucos perde aos concretos verticais o seu espaço neste cenário de agitação frenética das pessoas que descem e sobem os altos e morros fazendo de suas ruas e mercados um colorido audaz e de um burburinho de gente alegre e sofrida, mas confia que tudo pode melhorar, afinal tem ela lá no topo do Morro que leva o seu nome, Nossa Senhora da Conceição, e de lá cuida de Casa Amarela e da sua gente.

E, assim, em 2018, iniciamos o projeto trazendo os estudantes das Escolas Matias de Albuquerque e Padre Machado para falar sobre tema que atinge duramente os moradores da Grande Casa Amarela, Nossas Águas. Com apresentação de teatro e um documentário de 5 min, expuseram a dificuldade e a situação em que se encontram as águas que banham este pequeno (grande) território entre as batidas do maracatu do Alto José do Pinho. O sonho era formar mulheres agricultoras urbanas e jardineiras e com um curso de 150 horas de teoria, prática e imersão vivencial nas comunidades e no bairro, transformando pontos de lixo em locais agradáveis, transformando o jardim da Igreja, o da praça, da escola, e assim elas, na sua maioria foram se transformando em jardineiras e agricultoras urbanas e hoje estão vendendo suas plantas em feiras, outras trabalhando com jardinagem, com suas pequenas hortas caseiras... O projeto trouxe os eventos para movimentar e colorir o Sitio Trindade no dia da Comunidade, trazendo a cultura pernambucana cantar nas almas de cada pessoa que ali estava participando, vendendo seus produtos, admirando o lindo trabalho do Garimpando Diamantes ...com a agitação das eleições em outubro/18, convidamos para um Café no Sitio, junto com o Movimento Mulheres Maker, acolhemos com carinho, terapias, uma boa musica e apetitoso café da manhã e na Concha Acústica, nos surpreendemos e nos encantamos com Canto & Encontros Poéticos.

ICAS-COMUNIDADE-3

Para falar sobre o tema dos resíduos sólidos e pensarmos um pouco mais do lixo que acumulamos, distribuimos para os transeuntes aproximadamente 800 mudas de hortaliças produzidas pelas alunas e alunos do curso. As alunas do Colégio Dom Vital deram show de informações sobre resíduos sólidos. Foi uma manhã memorável, para nós e para as pessoas que passaram por ali...e o povo do Mercado de Casa Amarela, vive a perguntar: Quando volta?

ICAS-COMUNIDADE-70

Plantamos 40 árvores nativas, foram podadas mais de 20 árvores, o jardim do Sitio Trindade foi revitalizado, espalhamos por diversos lugares mais de 700 mudas de plantas arbustivas ornamentais e ervas medicianais e implantamos duas áreas de cultivos... fizemos um movimento bom por aqui, e tivemos um resultado gratificante que foi a formação de um coletivo de trabalho “Mulheres Viradas no Mói de Coentro”

IMG_20190817_095928

IMG-20190608-WA0054--1-
Trabalhos de jardinagem comercialização da produção de plantas

Hoje o Coletivo tem uma área de plantio no bairro vizinho de Casa Amarela, em uma importante rua do simpático bairro Poço da Panela, na beira do Rio Capibaribe, com contrato de Comodato estabelecido com os proprietários e ações a serem compartilhadas com o Coletivo Casa Flor. O Coletivo trabalha focado na produção de ervas aromáticas, de tempero e medicinais e também, o acompanhamento a área de cultivo da Escola Especial, CAEER e está desenvolvendo ações de implantação de horta comunitária e a produção das mudas para o projeto da Casa Menina Mulher, e assim, consolidando o intercâmbio entre projetos da Rede do Fundo Socioambiental Casa.

O Instituto Casa Amarela Saudável e Sustentável, oportunizou conhecimento, distribuiu mudas, despertou ainda mais Casa Amarela para pensar no seu meio ambiente, na sua gente e na sua sustentabilidade. Gratidão temos muita Fundo Socioambiental CASA, Fundação OAK e Fundo Socioambiental CAIXA.