Casa Cidades

Projetos com a temática 'Biodigestores e Energia' reúnem-se em call para intercambiar boas práticas e desafios

A cada 15 dias, as terças-feiras, o Fundo CASA reúne projetos com a mesma temática em calls para trocarem melhores práticas e desafios. No dia 09 de abril foi a vez dos projetos que atuam em diferentes Regiões Metropolitanas e trabalham como tema "Biodigestores e Energia". Além dos gestores dos projetos apoiados, o call também contou com a presença do Observatório de Projetos, liderado pela organização SER e do articulador local do Ditrito Federal, Marcelo, do Centro de Estudos e Assessoria.

Durante o call, assuntos como parcerias estratégias, contextualização da política energética do Brasil e estratégias de sustentabilidade foram os pontos altos debatidos entre os participantes. A logística também foi bastante destacada como ponto chave entre os participantes, que relataram a importância dela para ampliar o escopo de atuação e conseguir, dessa forma, uma maior produtividade, à exemplo do projeto Bem Composto, que atua na região metropolitana de Belo Horizonte e, hoje, recolhe 2.000 litros de resíduos orgânicos por semana, mas estuda a possibilidade de ampliar essa capacidade.

Em todos os projetos, as parcerias foram relatadas como imprescindíveis para o desenvolvimento dos trabalhos, exemplo disso é o projeto RUA, qua atua na região metropolitana de Recife, e plantou mudas em uma escola pública e também na praça do bairro de Brasilite. Elas contam ainda com o conhecimento técnico de ONGs que já trabalham com o tema e ajudaram na elaboração de um Fórum para a população. Assim como o projeto do Instituto Transformar, na região metropolitana do Distrito Federal, que contou com a participação dos alunos da Escola Família Agrícola na construção dos biodigestores, além do engajamento da Secretaria de Agricultura do município para disseminação do conhecimento para os agricultores.

Houve também um importante relato de Marcelo, articulador regional do Distrito Federal, acerca da metodologia de autonomia financeira através dos fundos rotativos, que fazem parte de alguns projetos apoiados pelo CASA, mostrando que com poucos recursos, mas com organização e confiança, qualquer comunidade pode conseguir colocar em prática as suas necessidades para a melhoria da qualidade de vida e produtividade da região. O fundo rotativo apresenta-se como uma estratégia de autonomia financeira facilmente replicável para qualquer projeto de base comunitária.

Ao final do call, os projetos puderam ainda entender melhor como está o cenário atual da política energética do Brasil através da fala de Joilson, da Frente por uma Nova Política Energética, que destacou a possibilidade de um possível retrocesso quanto as conquistas da geração de energia individual no país.

Um dos principais objetivos dos call temáticos é criar uma rede nacional, entre as regiões metropolitanas, de intercâmbio de experiências e saberes para o fortalecimento das organizações e, consequentemente, dos projetos. Esse é o primeiro passo para que essa rede torne-se ainda mais forte e atuante no Programa CASA Cidades e para além dele.

Author image
Sobre Laura Gurgel